09 setembro 2015

Peça: "Meninos e Meninas"

Fui ao Rio e, como de costume, assisti uma peça. Antes de mais nada, preciso usar toda a minha sinceridade com vocês e dizer que antes achava que a peça seria horrível. Daqueles típicos espetáculos adolescentes que tem o garoto bombado apaixonado pela menina loira de olhos azuis e no final eles se beijam e tocam uma musiquinha romântica. Fim. Cara, eu estava muito enganado!
Eu confesso! Decidi assistir a peça por conta da Maddu Magalhães: uma das minhas Youtubers preferidas. Era uma forma maravilhosa de eu conhecer ela e acompanhar outro lado do seu trabalho. Por fim das contas, acabei conhecendo o trabalho de mais um montão de pessoas que são super talentosas e que, a maioria, nem conhecia. 

Não tem como dar uma sinopse aqui pra vocês do que rola na peça, não tem como resumir. É impossível falar de todos os personagens em cinco linhas, sabe? E, sim! Todos são personagens principais, todos são protagonistas. Mas vou contar da minha experiência e de pontos que me chamaram atenção.

Quando entrei na sala do Teatro Miguel Falabella, continuava super ansioso e trêmulo porque ia ver a Maddu (fanboy detect). Olhei em volta e via as pessoas conversando como se fossem colegas de classe. Tiravam fotos, conversavam, fofocavam até. Estava tocando umas músicas bem legais, a cortina estava fechada e eu fiquei conversando com Guilherme (amigo meu) até o último sinal, indicando que a peça iria começar.

COMEÇOU. AI, MEU DEUS. CADÊ A MADDU? Foi meu primeiro pensamento ao ver as cortinas se divergindo de uma ponta a outra nas paredes do teatro. Calma. Eles estão cantando. 




De repente, a Maddu apareceu brilhando e olhei para cara de Guilherme tipo: "Caramba! Que demais! Parece mágica! Ela saiu do computador!". E por mais que até mesmo eu achasse que ficaria observando somente a atuação da Maddu, me enganei novamente. Todos são tão incrivelmente talentosos que eu só conseguia focar na cena, deixando de notar qualquer outra coisa em volta.

Em inúmeros momentos eu e Guilherme nos olhamos querendo dizer: "é desse jeito que acontece" ou "você é assim". A peça não é unidimensional, ou seja, ela não trata de um assunto só, não cria um cenário só. Retrata sobre tudo, tudo! Não é a toa que "eles vão contar tudo". Existe uma quebra de tabus constante. Além de falar sobre simplesmente TUDO: isso inclui bullying, problemáticas adolescentes, relações amorosas (entre meninos e meninas e meninas e meninas e meninos e meninos). Tudo isso que rola na vida da gente, mesmo que não tenha acontecido com você, mas aconteceu com alguém próximo, sabe?
Uma foto publicada por Lucas Dias (@lucasdiax) em
E.. tá, vai. Valeu a pena.

2 comentários:

  1. Oi Lucas, tudo bom? Adorei! Meu Deus! Não dá pra acreditar, a Maddu? Uma das minhas youtubers favoritas! Como eu moro longe não tem como eu ir, até por que aqui em casa são 4 pessoas, então imagina 4 passagens, mais hotel, mais os ingressos rsrs.
    Adorei!
    Te espero lá na Leitora Neurótica <3

    Beijos,
    Paula Santos-http://leitoraneurotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai ser um prazer dar uma olhada no seu blog <3

      Excluir